Algumas das reivindicações apresentadas pelos caminhoneiros devem ser acatadas pelo governo federal. A intenção é esvair a greve e acabar com as manifestações que ocorrem em quase todo o País desde a semana passada. Será feita a isenção de pagamento de pedágio para eixo suspenso de caminhões vazios, será dado o perdão das multas por excesso de peso expedidas nos últimos dois anos e prevista a ampliação de pontos de parada para descanso e repouso.

Essas medidas estão descritas na chamada Lei dos Caminhoneiros, que aguarda sanção da presidente da República, Dilma Rousseff. Ela deve assinar a nova lei, sem vetos, ainda nesta segunda-feira, 2 de março, de acordo com a Secretaria-Geral da Presidência da República. A pasta destaca que o texto foi acordado em reunião entre a presidência e representantes da categoria.

Além da sanção, o Palácio do Planalto vai encaminhar ao Congresso normas para suspender pelo período de um ano os pagamentos das dívidas de duas linhas de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para adquirir caminhões – Finame e ProCaminhoneiro.

Paralisação
Segundo apuração do governo federal, até a tarde deste domingo, 1.º de março, existiam apenas nove pontos de bloqueio nas estradas. Uma no Rio Grande do Sul e oito em Santa Catarina. Mas, as paralisações chegaram a ocorrer em 14 Estados e causaram muitos prejuízos ao abastecimento de produtos em todo o Brasil.

Fonte: CNM


Endereco

Rua Luiz Inácio dos Santos, 91 Centro - 55.375-000 - Calçado/PE

Horario de Atendimento

Atendimento ao público de Segunda a Sexta-feira.
Das 7h às 13h.

Telefone

Fone/Fax : (87) 3793.1128